16 de outubro de 2017

O pior dia de incêndios do ano

















| Imagem retirada da Internet | 
Admito que, desde que vivo em França há algumas notícias que me passam completamente ao lado. Não as tenho visto na televisão e aquilo que vou apanhando é o que leio pela Internet. Mas, durante este fim-de-semana, as redes sociais foram invadidas por imagens que faziam perder a respiração. Imagens que me levaram, de novo, a Portugal e pelas quais percebi que por lá se vivia o inferno - literalmente!
Segundo as informações, ontem foi o pior dia de incêndios do ano! A quinze de Outubro vive-se o pior dia de incêndios florestais quando, na verdade, achávamos nós que pior do que aquele terrível dezassete de Julho seria impossível. Passaram-se quase três meses e percebemos que NADA, mas mesmo NADA foi feito! Perde-se tempo a discutir m e r d a s que em nada contribuem para o bem-estar do país quando, na realidade, há trabalho que precisa de ser feito no que toca a incêndios florestais. Como preveni-los, como combatê-los. Mas não... Continuem a discutir o que não interessa e a lutar por um poder que, afinal, de nada serve! Enquanto isso, há mais trinta e uma pessoas que morrem, há dezenas de feridos que viveram na pele o inferno, há relatos de sobrevivência e hectares e hectares de floresta ardida. Enquanto isso, há os que perdem tudo! TUDO! As casas, os animais, os trabalhos e, por vezes, as próprias vidas. 
É triste perceber que somos sempre os mesmos no que toca a isto. É triste ter na boca a expressão "isto acontece todos os anos" e a mesma continuar, ano após ano, a fazer sentido. É triste chorar por um país que fica escuro, mais pobre e que perde uma das grandes belezas dele próprio. É triste continuar a achar que, um dia, alguém se vai lembrar de que é preciso fazer algo e fazê-lo - na prática - quando, na verdade, já todos perdemos essa esperança. 
Dói ver um país a sofrer pela culpa de quem o governa, quando são estes os que menos sofrem na pele o inferno que é vivido. Mas, talvez se no meio dele estivessem, assim percebessem o que é, de facto, um incêndio e se deixassem de números e de bla bla bla. 
Portugal está a arder, em pleno mês de Outubro, de uma forma ainda mais intensa do que nos picos de calor dos ditos meses de perigo. É só a mim que isto soa mal e anormal? #prayforPortugal