11 de abril de 2017

TRABALHO | Férias forçadas



Tal como escrevi neste blog quando deixei de ser estagiária, para assinar o meu primeiro contrato, tem lógica que escreva quando o mesmo está prestes a chegar ao fim. Hoje é o primeiro dia das minhas férias forçadas. No final do mês de Abril passo a ser mais um dos números das estatísticas do desemprego em Portugal.
Tenho plena consciência de que existem muitas e muitas pessoas para quem esta realidade é dura demais. Assim como sei que existem um número enorme de pessoas que tudo dava para conseguir um trabalho. Mas, desculpem-me todas elas quando digo de forma segura que isto foi algo que chegou exactamente na altura certa. 
Encontro-me à espera de uma resposta sobre o SVE mas, sabia, desde cedo que, mais tarde, ou mais cedo, me iria despedir. Quem leu este meu post, sabe que os últimos tempos não tem sido fáceis e encontrava-me esgotada psicologicamente para continuar ali. Sabia que aquele não era um futuro longínquo que queria para a minha vida. 
Com vinte e cinco anos sabia que, tendo em conta que ainda nem tive a oportunidade de trabalhar na minha área, que estudei quatro anos na universidade, que ainda há muito por viver e descobrir, aquele não era um emprego para o resto da vida. Tudo se estava a tornar demasiado pequeno, demasiado desgastante... e eu sabia que queria mais. Tenho o direito de pedir e tentar mais. Pelo menos, não posso sequer desistir sem tentar! 
Por isso, no meio de tudo o que estava planeado na minha cabeça, esta foi, de facto, a melhor solução. Se foi um sinal, um caminho a ser traçado, não sei... mas quero acreditar que sim. Quero acreditar que, se esta porta se fechou, será para uma nova se abrir. Por isso, até ter uma certeza sei que esta ansiedade não me irá abandonar, mas vou tentar aproveitar os próximos tempos da melhor forma. Praticar mais exercício físico, experimentar novas receitas, passar mais tempo com a família e os amigos, apanhar sol, ler muito, trabalhar no blog, ter tempo meu... quero saber que todos os dias foram bem aproveitados, independentemente, do que o futuro me poderá reservar. Mas, que seja aquilo que eu tanto quero, por favor 👐.