9 de novembro de 2016

VIAGENS | [Férias'16] Paris #9

Chegadas ao nosso décimo segundo dia de viagem era tempo de nos começarmos a despedir de Paris. Tivemos o Sábado ara percorrer pela última vez as ruas desta cidade, para comer os últimos croissants, para comprar as últimas recordações e prendas. Um Sábado que foi calmo. O essencial do dia era aproveitar ao máximo, mas sem pressas, sem horas marcadas. No fundo era, inconscientemente, tentar atrasar o tempo para que pudéssemos continuar a ser felizes naquela que foi uma viagem inesquecível!
Começamos o nosso dia em Mont Martre. O destino foi a Basilique du Sacré-Cœur que está localizada no topo do monte, o ponto mais alto da cidade.

O local é bonito, com mais uma vista fantástica sobre os telhados da cidade e a Basílica tem mesmo um encanto especial fazendo-se sentir a fé que a envolve.


Infelizmente não conseguimos encontrar os tão célebres pintores desta zona da cidade que se encontram numa praça a realizar esboços e pinturas de paisagens e turistas, mas aproveitamos para passear por algumas ruas onde nos deparamos com algumas lojas de souvenirs que nos "convidavam" a trazer tudo!

Caminhando e caminhando viemos ter ao Moulin Rouge que era um dos locais que tínhamos no mapa para visitar neste dia. Tinha curiosidade em ver o edifício de um local tão conhecido de Paris e, a verdade é que, toda esta zona da cidade transborda de uma ideia de época boémia que outrora e ainda hoje se deve viver por lá.

Antes de regressar a casa, fomos até à Place de la République que eu queria muito ver por ter sido um local que me marcou na homenagem às vítimas de todos os atentados que Paris tem sofrido. Quis lá estar e ver com os meus olhos o espaço em que as pessoas deixaram velas, flores, lágrimas, cartazes e tantas outras coisas que serviram para gritar ao Mundo que o medo não iria vencer.
Assim sendo, quis também ir ao Bataclan e posso dizer-vos que nunca me irei esquecer da expressão que a senhora que nos deu informações teve quando nos perguntou se procurávamos algo e lhe dissemos que queríamos ir àquele local. É marcante, a verdade é essa! Imaginar que, meses antes estariam ali pessoas que só se queriam divertir sem imaginarem sequer que aquele seria o último local que veriam... é de ficar com um nó na garganta, mas quis lá ir. Quanto ao que por lá encontramos, é destruição. Mensagens de saudade, rosas presas ao gradeamento. O sentimento de perda que, inevitavelmente, invade qualquer pessoa. Porque, nos minutos que lá estivemos, foram algumas as pessoas que lá pararam e se mantiveram em silêncio olhando as paredes agora vazias. As pessoas e, mais concretamente, os turistas, passam lá por querem lá passar! Mais que não seja para mostrar que nós estamos com a França e aqueles que partiram nunca serão esquecidos!

Almoçamos por casa e, durante a tarde, descansamos um pouco antes de darmos mais uma voltinha pelo bairro onde ficamos hospedadas. Vimos montras e pessoas e terminamos o nosso dia num  barco a dar a volta ao Rio Sena, tendo a oportunidade de ver todos os monumentos iluminados. Havia lá melhor forma de acabar esta viagem? Não! Apesar de muitas das coisas que a guia ia dizendo nós já as sabermos, apesar do frio e da fome, valeu a pena porque foi uma derradeira despedida.

E porque esta foi uma das melhores viagens da minha vida, não poderia terminar sem a fotografia de um local que me é tão querido por ser a porta do prédio onde ficamos hospedadas e, consequentemente, a porta do prédio da minha primeira casa. Foi ali que vivi durante três anos da minha vida e ter tido a oportunidade de lá regressar foi muito importante! Prometo voltar Paris. Prometo regressar a esta cidade que é minha e que me encheu o coração! Durante todos estes dias eu fui feliz, muito feliz!

___________________________
Mais sobre esta viagem:

| Um dia em Genebra | Um dia em Berna | Um dia em Lausana |
| Paris #1 | Paris #2 | Paris #3 | Paris #4 | Paris #5 | Paris #6 | Paris #7 | Paris #8 | Paris #9 |