20 de outubro de 2016

VIAGENS | [Férias'16] Paris #4

Na Segunda-feira acordamos com um sol radiante e, assim sendo, era o dia perfeito para aproveitar uma das melhores vistas da cidade: a do Arc du Triumph! A juntar ao tempo que decidiu ser nosso amigo, levamos uma Parisiense a percorrer as ruas da sua cidade e quase que fomos as guias turísticas dela. Isto admite-se? :p Mas pronto, a desculpa é que esteve à nossa espera para subir ao dito cujo :D
Começamos pela Place de la Concorde que é a segunda maior praça de França e a maior da capital! Foi criada em 1772 e foi um dos locais de execução aquando da Revolução Francesa, sendo que foi ali que Marie Antoinette e Louis XVI foram mortos na guilhotina.
O ponto central da praça é o Obélisque de Louxor que tem 3300 anos e foi transportado para França em 1836. Tem uma altura de 22,86 metros e um peso de 227 toneladas. Está situado na linha do eixo histórico de Paris que vai do Arc du Triumph ao Arc de la Défense, passando pelo Jardin des Tuilleries e pela Avenue des Champs-Élysées.
Por sorte ainda conseguimos ver a Roda que se encontra no Jardin des Tuilleries montada, uma vez que já a estavam a desmontar. 


Seguimos caminho pela Avenue des Champs-Elysées que foi uma parte que me desiludiu um pouco. Não a achei nada de especial e acho que o seu maior encanto deve ser somente na época de Natal em que a mesma está repleta de luzes e decorações. Mas bem, enquanto percorríamos a Avenida fizemos questão de entrar em algumas lojas, nomeadamente na da Disney onde compramos algumas presentes.


À chegada ao outro extremo da Avenida deparámo-nos com o Arc du Triumph que achei mesmo, mesmo bonito. Foi construído em comemoração das vitórias militares do Napoleão Bonaparte e nele estão gravados os nomes de 128 batalhas e 558 generais. Conta com 50 metros de altura, 45 metros de largura e 22 metros de profundidade e na base do mesmo está o túmulo do soldado desconhecido.



O monumento é grandioso e é um símbolo da vida militar francesa, mas, a verdade é que, na minha opinião, aquilo que o torna mesmo fantástico é o seu topo! É lá que podemos apreciar a beleza das ruas de Paris, as suas simetrias e o quão belos são os telhados da cidade - sim, eu já disse que tenho uma panca por telhados :p. A vista é linda e só dá vontade de passar lá horas a apreciar a beleza genuína de Paris.




Seguimos caminho pela Rue Haussmann, onde acabamos por almoçar e descansar, antes de chegarmos às Galeries Lafayette que é um género de "El Corte Ingles" e em que a loja principal é nesta rua. Todas as pessoas com quem falei da viagem me disseram que tinha que visitar este edifício e mal cheguei lá percebi o porquê! É fantástico, é bonito, é enorme! A ala central do edifício é mesmo de se ficar Uau! e nem consigo sequer imaginar o quão bonito deve ser na época de Natal. É lá que é montado um pinheiro enorme e as montras ficam repletas de coisas de Natal, sendo que muitas delas são com bonecos mecânicos que dão vida à montra. Conseguem imaginar o sonho? Pois, vou ter mesmo que lá voltar nessa época, que chatice :D
Mas bem, percorremos alguns pisos, até chegarmos à varanda onde aterramos para descansar um pouco! De lá ainda avistamos o edifício do Palais Garnier, que é um dos teatros que abriga a Opéra National de Paris.
Avistamos somente uma das entradas do mesmo, uma vez que não dava para entrar, mas avisaram-me de que este edifício tem uma das salas mais bonitas da Europa. Mais um local a voltar, no futuro!




Antes de regressarmos a casa ainda fomos à Pandora, para que eu pudesse comprar a minha conta de Paris e o regresso a casa foi todo ele uma aventura. Desde não sabermos qual a linha a apanhar, até não termos bilhetes de transporte e andarmos "à socapa". Mas são coisas destas que nos ficam também na memória não é?
Chegadas à Rue Saint-Jacques precisávamos de recarregar energias e, por isso, fomos devorar um gelado tão bom que no topo trazia um macarron ainda melhor. O delírio, portanto! Soube tãooo bem!

Como ainda era consideravelmente cedo, decidimos aproveitar para visitar o Panthéon de Paris. Como em tantas outras cidades, é aqui que se encontram algumas das grandes personalidades do país. De entre os túmulos presentes, o que mais me interessou foi o de Marie e Pierre Curie que cheguei a estudar aquando da minha licenciatura. Não foi, de todo, a coisa que mais gostamos de visitar, mas queríamos fazê-lo e assim foi! 






No final, foi um dia bom! Foi um dia de muita caminhada, boa disposição e muito sol! Como tantos outros em Paris, foi um dia feliz!
___________________________
Mais sobre esta viagem:

| Um dia em Genebra | Um dia em Berna | Um dia em Lausana |
| Paris #1 | Paris #2 | Paris #3 | Paris #4 | Paris #5 | Paris #6 | Paris #7 | Paris #8 | Paris #9 |