18 de outubro de 2016

VIAGENS | [Férias'16] Paris #3


O Domingo tinha locais bem precisos para serem visitados. Descemos a Rue Saint-Jacques que é uma das ruas mais antigas de Paris e depressa chegamos à Île de la Cité que é uma das ilhas da cidade e é o centro da capital, onde a cidade medieval de Paris foi fundada. O tempo não esteve a nosso favor, uma vez que, durante a manhã ainda apanhamos chuva, mas pelo menos não estava frio! Por volta das 10 horas estávamos no primeiro local de visita e posso dizer-vos que gostei muito!



Começamos por visitar a Conciergerie que é o vestígio principal do antigo Palácio da Cidade, que foi residência e sede do poder real francês. Em 1392 foi convertido em em prisão do estado e foi lá que Marie Antoinette passou os seus últimos meses antes de seguir para a guilhotina. A prisão era considerada como a ante-sala da morte, durante a época da Revolução Francesa e muitos poucos saíram dali livres.  
No edifício encontramos várias salas, onde é retratado o percurso que os prisioneiros faziam até serem levados para a guilhotina, assim como as celas que lá existiam. É um local repleto de história, essa é a verdade!

 (reconstituição da cela de Marie Antoinette)













Seguimos caminho para a Sainte-Chapelle que foi realizada em sete anos! Esta capela foi construída por Luis IX, com o objectivo de nela permanecer os vestígios da coroa de espinhos de Cristo que o imperador latino de Constantinopla, Balduíno II, havia comprado. Mas, o ponto curioso desta história é que o valor gasto na construção da capela foi muito superior ao valor pago pela coroa! 
Esta capela é composta por duas capelas sobrepostas. A inferior era reservada aos funcionários e moradores do palácio e a superior era destinada à família real e é revestida com um género de alcatifa nas paredes e tecto, tendo também a presença de Saint-Louis.




Já no que diz respeito à capela superior é impossível não deixar escapar um Uau! É impossível ficar indiferente à quantidade de vitrais que a mesma possui. São mais de 1000 cenas da bíblia que se encontram lá retratadas e é de uma beleza incrível! É um local que vale mesmo, mesmo a pena visitar, sem dúvida.

O lado menos positivo deste local é que, devido ao facto de à sua volta se encontrar o Palácio da Justiça, acaba por estar meio que "escondido" não dando sequer hipótese a se apreciar de forma justa o edifício na parte exterior.
Continuamos caminho e viemos ter à tão célebre Cathédrale Notre Dame de Paris que é uma das mais antigas catedrais francesas em estilo gótico. A sua construção foi iniciada em 1163 e é dedicada a Maria, Mãe de Jesus Cristo. Esta catedral é, igualmente, muito conhecida no âmbito infantil, devido ao filme do Corcunda de Notre-Dame que é um romance escrito por Victor Hugo, em 1831.
Se houve local que me desiludiu em Paris, este foi um deles! Acredito que, para muitos, seja um local fantástico e, admito que, relativamente à sua construção e a toda a história que a envolve, nada tenho a dizer contra... mas achei que a Catedral já é muito somente monumento e não aquele lado mais religioso. É muito turista - e contra mim falo, sei bem! - é muita fotografia... falta-lhe aquela sensação que temos quando encontramos num local que está, inevitavelmente, ligado a uma força superior. E isso foi o que me desiludiu.  






Mas, há muita coisa para ver na Catedral, desde os tesouros da mesma onde há imensos objectos religiosos repletos de ouro e pedras preciosas, sendo que um dos tesouros são os fragmentos da coroa de espinhos de Jesus Cristo que se encontram lá desde 1896, passando pela subida à torres que vale mesmo a pena! Fizemos fila pela primeira vez, de mais ao menos 50 minutos, à chuva, mas que, valeu a pena quando chegamos ao topo pois a vista da cidade é linda. Aliás, acho que gostei de todas as vistas da cidade de Paris. É mesmo uma cidade que me encanta pelos seus telhados, pelas suas ruas... digam lá se não é bonito?









Depois de visitarmos o que de melhor há na Île de la Cité e, uma vez que, o sol decidiu dar um ar da sua graça - ainda bem! - seguimos caminho por uma das margens do Rio Sena. Fomos admirando as vistas, caminhando e apreciando a beleza da cidade. 



Até que, viemos ter ao local onde, neste momento, se encontram mais cadeados. A Pont des Arts já não tem cadeados (infelizmente) e por isso, foi necessário encontrar outro lugar não é? Pois bem, agora encontram imenso cadeados na Pont Neuf, onde está a estátua de bronze de Henrique IV. Já está tudo repleto de cadeados e é algo que fica, sem dúvida, muito, muito bonito! Eu adorei e ainda ficamos por aqui sentadas durante algum tempo!


Por fim, o último destino do dia era a Eglise de Saint-Sulpice que admito tê-la colocado no roteiro devido ao filme O Código da Vinci. Para quem já viu o filme, lembram-se desta parte? Pois bem, tendo eu adorado a história - mais o livro do que o filme - era impensável ir a Paris e não visitar esta Igreja. E ainda bem que o fizemos!
Porque além de toda a envolvente e do tão célebre meridiano de Saint-Sulpice que serviu como ponto de origem para o cálculo da longitude, a igreja é fantástica no exterior e no interior! É enorme, sendo uma das mais altas de Paris e quando entramos nela sentimos, de facto, que estamos num local religioso. Há uma ligação profunda por algo. Há respeito, há silêncio, há preces, há a tranquilidade de chegarmos um local onde sabemos que podemos ficar por imenso tempo.


Foi uma das igrejas que mais gostei de visitar e aconselho vivamente a que passem por lá, pois não se vão arrepender! E foi assim que terminou mais um dia de descobertas por Paris. No dia seguinte havia mais uma sítio muito bonito para visitar!


___________________________
Mais sobre esta viagem:

| Um dia em Genebra | Um dia em Berna | Um dia em Lausana |
| Paris #1 | Paris #2 | Paris #3 | Paris #4 | Paris #5 | Paris #6 | Paris #7 | Paris #8 | Paris #9 |