18 de agosto de 2016

PESSOAL | Blog pessoal, mas não sentimental


Antes do Teorias d'ela, existiram dois blogs anónimos e muito pessoais. Dois blogs onde os post's se baseavam em estados de espírito, sentimentos e desabafos. Era o escape daquilo que me rodeava. Era o dizer, ainda que através da escrita, o que não ousava deixar sair em sons ou o que, por vezes, os outros já não queriam ouvir. E, por isso, os blogs necessitavam de permanecer no anonimato para que os outros não vissem essa parte tão genuína e frágil de mim.
Tive por lá textos que ainda hoje me deixam de lágrima ao canto do olho. Tive mensagens que nunca foram decifradas. Tive recados para pessoas que nunca tiveram conhecimento dos mesmos. Tive coisas tão minhas que facilmente as identificava como tal, por serem tão pessoais. Se, por um lado, me orgulho dessas fases, em que tudo era tão simples quanto ter uma música de fundo e um computador, bastando lançar os dedos pelas teclas para que tudo fizesse sentido, saindo daí coisas que irei guardar para sempre, também percebo hoje que tudo aquilo era uma necessidade óbvia e, uma vez que assim era, é fácil entender que havia muita coisa que não estava bem.
Hoje, quando olho para este blog percebo que há muito de mim nele, mas há pouco de extremamente pessoal. Há vida repleta de momentos que por aqui ficam marcados, há alegrias, tristezas, vitórias e derrotas; mas não há a necessidade de justificar o porquê de achar que o mundo me está a ser sugado dos pés. Porque não está! Há uma paz em mim que não me leva a escrever coisas tão pessoais por não existir essa necessidade. E isso é tão bom! É bom ver e saber que o blog me pertence a mim, uma miúda de vinte e quatro anos que escreve sobre tudo o que lhe apetece e não que pertence à miúda que outrora teve dezoito e dezanove anos e que fazia do blog um porto de abrigo. Por isso, este é um blog feliz, com muito ainda para dar e outro tanto para receber. É um blog pessoal, mas não um blog sentimental e isso é coisa que os dois anteriores eram (em excesso!).