4 de agosto de 2016

FILMES | Como ser solteira

Trailer [2016 | IMDB: 6,1/10]

Sinopse (aqui)
Nova Iorque está cheia de corações solitários à procura do par ideal e o que Alice, Robin, Lucy, Meg, Tom e David têm em comum é a necessidade de aprenderem a ser solteiros num mundo em que as definições de amor parecem estar em contínua evolução.
 Opinião
Este filme saiu nos cinemas em Fevereiro, aquando do dia dos namorados e era mesmo uma boa opção para as pessoas que se encontram solteiras! Fiquei com curiosidade em vê-lo por também achar que seria uma comédia engraçadas e, por isso, aquando do meu fim-de-semana por Coimbra eu e a minha P acabamos por vê-lo.
Este filme retrata a vida de quatro mulheres que são super diferentes e em que cada uma delas lida com o facto de ser solteira à sua forma. Temos a recém-solteira que ainda sofre pelo fim  da relação; a solteira que só vive para a sua vida profissional, até que percebe que lhe falta algo; a solteira que procura incondicionalmente o seu par e, por fim, a super solteira que só quer mesmo é ser solteira! E, no fundo, é esta última que demonstra todas as loucuras que uma mulher solteira pode cometer e que leva a primeira a experimentar a vida de solteira ao máximo.

Mas, no meio de tudo isso, há prioridades na vida destas personagens que se alteram levando uma delas a realizar um desejo e uma outra a encontrar finalmente o homem da sua vida.

E, enquanto que a solteira que o deseja ser a toda a força continua a sua vida, há uma lição, no final do filme, que surge... até que ponto achamos nós que ser solteira é uma circunstância da vida ou, afinal, é algo que queremos ser? E é sobre isso que esta comédia nos questiona. Porque, por entre imensas gargalhadas e cenas divertidas este é um filme que nos traz algo e isso é muito positivo! É um filme com conteúdo e com uma ideia em definida de que, cada um de nós tem o poder de decidir qual o seu estado civil e, na maior parte das vezes, não nos apercebemos disso. Na verdade, ou agarramos o amor ou o deixamos ir para vivermos para nós próprios. É um bom filme para solteiros porque, na realidade, acaba por trazer a "esperança" aqueles que julgam que irão ficar assim para sempre!