11 de julho de 2016

EURO 2016 | Somos Campeões Europeus

Hoje, no dia em que regressaram ao nosso Portugal, as emoções continuam à flor da pele. Não sou pessoa de chorar em público, mas ontem fez-se história neste cantinho do mundo e foi inevitável deixar cair as lágrimas de alegria. Somos Campeões Europeus ! Conseguimos. Lutamos. Vencemos.



Fomos muito mais fortes do que todas as críticas que nos fizeram. Deixamos que falassem, sem nunca perder o foco daquilo que, de facto, queríamos e considerávamos importante. Houve o desejo de vencer e tornámo-lo real.


A vocês, aqueles vinte e três que, jogo após jogo, deixaram tudo em campo, Obrigada! Foram incríveis na luta por este sonho. Fizeram magia e mostraram do que é feita a raça portuguesa! 
Mas, entre todos, há aqueles que a meus olhos preciso de mencionar, porque nunca os irei esquecer! O Rui Patrício que defendeu a nossa baliza de forma memorável. Trabalhou, lutou e evitou que muitos golos se concretizassem. Foi, em muitos momentos, a nossa tábua de salvação e foi sempre um orgulho enorme ver o quanto todos nós vibrávamos de cada vez que as suas mãos seguravam a bola. Foi enorme e marcou lugar como guarda-redes da equipa ideal. 
Ao Pepe que estava lá de cada vez que era preciso. Só queríamos que os pés ou a cabeça dele tocassem na bola e a desviassem dos locais de perigo. Foi, para mim, o Salvador da Pátria e merecia muito mais reconhecimento do que aquele que obteve, por parte de alguns, mas da minha parte torci sempre por ele e finalmente teve o seu lugar como melhor em campo.
O Quaresma que tem o poder de fazer magia. Joga a bola de uma forma só dele e, nos quartos de final, soube aguentar toda esta Pátria nas suas costas. Deu-nos o golo de que precisávamos e esteve lá quando foi preciso. O jogador que não precisou de ser titular porque de cada vez que entrava em jogo os nossos corações batiam ainda mais forte e os nossos olhos brilhavam ainda mais. Desculpem-me o comentário, mas a verdade é que e sem qualquer tipo de racismo "cigano que é cigano não perde um euro!" e ainda bem que assim foi!
Ao meu Raphael Guerreiro que é o meu miúdo. A minha melhor descoberta deste Euro. Percorreu Quilómetros sem deixar que o peso dos monstros com quem batalhou o fizessem tremer ou temer o direito que tinha de ali estar e fazer parte desta equipa. Tanto estava à defesa como já se encontrava ao ataque. Teve a confiança dos restantes e conquistou o nosso capitão. Soube dar valor ao local que ocupou sem nunca perder a humildade de saber que precisava de dar mais, mais e mais. E deu! 
Por fim, o nosso Cristiano Ronaldo que, mais do que um jogador de futebol é um capitão nato! Ontem sofreu de forma física e psicológica por lhe terem tirado a hipótese de jogar aquele que seria um dos jogos da sua vida, mas por outro lado, demonstrou que não precisa de estar dentro das quatro linhas para dar tudo o que tem para dar! Foi o coração desta equipa e levou cada um dos seus colegas a acreditar, a lutar e a vencer. É o maior! O melhor jogador e a melhor pessoa que poderíamos ter como capitão.
Obrigada por nos terem dado a hipótese de, jogo após jogo, sonhar, acreditar e confiar em vocês. Levaram-nos mais longe e tornaram tudo isto real. Toda esta magia que nos invadiu, toda esta felicidade que já ninguém nos rouba. Por muito que escreva, não há palavras que traduzam o que sinto. Aquela pele de galinha, aquela lágrima que teima em aparecer, aquele arrepio na espinha de cada vez que vejo ou oiço o nosso Olé Portugal!
Desta vez fomos maiores. Fomos os grandes que ensinamos como se joga futebol de forma limpa! Vencemos a França, no seu Euro, mesmo depois de terem prejudicado o nosso capitão. É caso para dizer que o feitiço se virou com o feiticeiro e assim fomos capazes de dar a volta! Digam o que disserem, nós merecemos esta vitória! Só foi preciso fazer acontecer e vocês fizeram! Obrigada, Obrigada, Obrigada...