16 de maio de 2016

FILMES | Agora fico bem





Trailer [2012 | IMDB: 7,2/10]

Sinopse (aqui)
Tessa tem 17 anos e uma paixão pela vida. Quando lhe é diagnosticada uma doença terminal, Tessa decide utilizar cada momento da sua vida. Com a ajuda da sua amiga Zoey, cria uma lista daquilo que uma adolescente normal devia experimentar, incluindo perder a virgindade e tomar drogas, e começa a pô-la em prática. Enquanto a sua família lida com o medo e a tristeza, cada um à sua maneira, Tessa explora um mundo totalmente novo, acabando por se apaixona-se por Adam, o seu novo vizinho, uma experiência que não estava na lista mas que acaba por ser a mais emocionante de todas. 
Opinião 
Estava para ver este filme à imenso tempo, mas o facto de só o encontrar online em brasileiro, fez com que ainda não o tivesse visto. Surgiu-me alguma curiosidade sobre ele depois de ter visto "A Culpa é das estrelas" por me terem dito que era do género.

Por isso, quando o vi na RTP1, não hesitei em consagrar-lhe umas horas. E que bem que fiz! É, sem dúvida, mais um daqueles filmes em que o final não é o mais feliz de todos, em que morre quem se está à espera e em que o amor é a peça-chave. É impossível não compará-lo ao filme que mencionei em cima, até porque estamos a falar de uma história em que as personagens principais estão doentes e o que é retratado é a forma como as mesmas lidam com as respectivas doenças. Mas, enquanto que no outro filme, quem morre é quem não estamos à espera, aqui é o contrário. Morre a miúda que decidiu parar com os tratamentos para aproveitar o resto da sua vida da forma mais intensa possível e, para isso, decidi criar uma lista de coisas que gostaria de fazer antes de morrer. Mas, o amor troca-lhe as voltas e aparece aquela pessoa que vai estar ao seu lado até ao seu último dia. 
E não é isso que o amor nos faz? Ajuda-nos a lutar por algo, leva-nos a sentir coisas que nos trazem paz, calma e realiza-nos sonhos. Foi o amor que a levou a "esquecer" a sua lista e a perceber que a única coisa de que ela mesmo precisava era daquilo... do amor! Quer seja do amor dos pais, da família, da melhor amiga ou daquele rapaz que a fez ter a melhor experiência da sua vida: amar. 
Por isso, este não é um filme de mortes ou de doenças. É um filme de amor onde inevitavelmente, nos questionamos sobre se seríamos capazes de tomar a atitude que ambos tomaram. Por um lado, desistir dos tratamentos que te poderão manter mais tempo viva, para que possas viver o tempo que te resta da melhor forma, ou seja, qualidade vs quantidade e, por outro lado, a atitude dele em cuidar de uma rapariga que está a morrer, dia após dia... E, no fundo, a resposta a tudo isto é apenas uma: amor!
Não se esqueçam de participar no passatempo do aniversário do blog, aqui!