5 de fevereiro de 2016

LIVROS | Longe do meu coração



2010 | Júlio Magalhães | [Escala pessoa: 6/10]

Sinopse (aqui)
Joaquim não queria acreditar no que os seus olhos viam. Tinha saído a salto de Portugal, viajado apertado em camionetas de gado, andado quilómetros e quilómetros a pé, à chuva e à neve, quase tinha perdido a vida nos Pirenéus e agora estava ali. Na capital portuguesa em França. O sítio onde, todos lhe garantiam, podia enriquecer e concretizar os seus sonhos. Mas o que via era um bairro de lata. Sentia os pés enterrarem-se na lama. Olhava para as barracas miseráveis e para os fardos de palha que faziam as vezes de uma cama. Mas, Joaquim não estava disposto a baixar os braços. Em Longe do meu Coração retrata com mestria e realismo, o quotidiano dos portugueses que partiram em busca de uma vida melhor, sonhando um dia regressar ricos à terra que os viu partir pobres. Para Joaquim, Portugal estava longe. Era ali, em França, na terra que lhe dava de comer, que queria vingar, que prometia, à força do seu trabalho, derrubar fronteiras e preconceitos. O plano estava traçado. Iria abrir uma empresa de construção, com o seu amigo Albano, enriquecer e, depois de ter casa montada com carro com emblema no capô, estacionado à porta, iria pedir a mão da sua Françoise, a professora de Francês que lhe abriu o mundo das letras e do amor. Mas, cedo Joaquim vai descobrir que há barreiras difíceis de ultrapassar. 
Opinião

Li este livro por sugestão da minha R. e, mais uma vez, ela não me decepcionou! Um romance leve, suave e cheio de esperança, coragem e sonho. Retrata a fase da migração dos portugueses, nos anos 60, para França. É toda essa envolvente da luta do nosso povo pela liberdade e por uma vida melhor que dá esta magia ao livro, pois mostra-nos que, com ambição, esperança e coragem os sonhos podem tornar-se reais. 
O amor é o sentimento predileto. É aquele sentimento que aqui é retratado como capaz de combater tudo e todos. Por amor as personagens são capazes de desistir das suas próprias vidas rodeadas de luxos, dinheiro e estatuto social para terem ao seu lado a pessoa que amam. O amor dá as asas necessárias para voar, sem receios e sem olhar para trás. 
Aqui o amor, a resistência dos portugueses e a coragem de serem mais do que aquilo que eram é o ponto central da história que nos faz refletir (um pouco) sobre todas as dificuldades que este povo encontrou para se tornar num emigrante digno. Tempos difíceis, mas não longínquos, pois quase todos nós conhecemos uma história de alguém próximo que tentou a todo o custo, fazer a travessia a salto. 
Gostei mesmo muito do livro e aconselho a que leiam. É uma leitura sensivelmente rápida e simples. O livro está dividido por capítulos breves e as personagens acabam por se entrelaçar umas nas outras. Vocês já conheciam?