31 de dezembro de 2015

PESSOAL | Aleatoriedades de 2015



As palavras que melhor definem o meu ano foram mudançaauto conhecimento. Comecei o ano comprometida e acabo-o solteira. Passei um ano a reaprender a viver sozinha. Deixei cair muitas lágrimas, mas também sorri muito. Fui a Barcelona com primas espectaculares de quem me reaproximei. Passei fins-de-semana em casa delas a ver filmes enquanto a chuva caia. Assinei o meu primeiro contrato de trabalho a sério. Levei a maior chapada de luva branca até hoje e deixei-me ir novamente ao fundo. Tive amigas que nunca desistiram de mim. Aprendi que há pessoas que não merecem estar na nossa vida e, aos poucos, estou a seguir em frente. Conduzi mais do que no ano passado. Comprei muitas mais coisas de miúda. Criei este blog, atingi as 10.000 visualizações e lancei o primeiro passatempo. Iniciei-me no Youtube. Voltei a reatar amizades antigas e encontrei pessoas novas. Aproximei-me de amigas que me fazem bem. Provei sushi e gostei bastante. Fui a um concerto da Daniela Mercury. Fui poucas vezes à praia, no Verão. Comprei no Ebay. Li mais livros do que o habitual. Comprei o meu primeiro computador. Escrevi muito e pouco sobre amor (o que é bom!). Vi bastantes filmes. Passei a seguir sete séries e estão todas actualizadas! Fiquei super-hiper fã de Arrow. Chorei de alegria por saber que vou ser tia. Respirei fundo e contei até dez antes de tomar certas atitudes. Tornei-me menos impulsiva. Vi a minha sobrinha numa ecografia 3D. Conheci-me melhor e dei-me mais valor. Fui ao casamento da minha amiga de infância. Fiz mais telefonemas do que o ano passado. Passei a beber chã verde todos os dias. Comprei um telemóvel. Passei mais tempo em família. Viajei de avião sozinha pela primeira vez. Descompliquei momentos e aproveitei as oportunidades que me foram surgindo. Deixei de amar e passei a ter receio de o voltar a fazer. Continuei a não gostar de desporto. Escolhi as fotos que quero revelar para o meu álbum da universidade. Passei fins-de-semana em Coimbra e no Porto. Fui a um festival de fado. Fui ao teatro. Fotografei bastante e participei em concursos de fotografia. Continuei a dar mimo à minha gata. Torci o pé. Fui a jantares de aniversário. Recebi e enviei postais. (...) dois mil e quinze foi um ano de aprendizagem, descoberta e reconstrução. Fui feliz e estive triste. Foi um ano difícil, que me colocou à prova e que, ao mesmo tempo, me deu muitas razões para tornar tudo mais simples. Foi um ano que não será esquecido e agora que venha mais um, mas recheado de lembranças e memórias ainda mais felizes e acima de tudo, com paz e tranquilidade. Tenham um feliz 2016! ♥