28 de agosto de 2015

PESSOAL | Sentir falta de quem nunca se conheceu

Sinto falta dela todos os dias. É estranho. Sentir falta de alguém com quem nunca partilhamos nada, alguém que nunca vimos, alguém que nunca conhecemos. Mas eu sinto! Não há um único dia em que ela não surja na minha mente e, quanto ao coração, nesse está lá sempre.

Passei anos e anos a desejar que tudo tivesse sido diferente. Que o seu futuro tivesse sido outro e que os nossos destinos se tivessem entrelaçado de forma presente e não apenas por este amor impossível de explicar. Queria tanto que ela tivesse estado aqui, fisicamente, ao meu lado, para que a pudesse ver e tocar. Queria ouvir o som da sua voz a responder às questões que lhe coloquei ao longo do tempo e não apenas senti-las no coração. Queria que tivesse gritado comigo, mas que também me tivesse dado colo. Queria ter dezenas de fotografias com ela e que tivéssemos tido a oportunidade de partilhar o que duas pessoas como nós deveriam partilhar. As aventuras e desventuras, os amores e os desgostos, as alegrias e as tristezas, as vitórias e as derrotas. Queria que nos tivéssemos perdido e reencontrado. Queria que tivesse sido sempre a minha aliada, a minha cúmplice e a minha melhor amiga. Queria que dormisse ao meu lado e não apenas que me visitasse em sonhos.
Poderia ter sido tudo diferente. Tudo melhor. Poderia ter a oportunidade de lhe telefonar hoje para simplesmente dizer “Adoro-te”. Não posso. Nunca pude. Mas digo-lho, dia-após dia! Todos os dias! E ela sabe-o. Eu sei que sabe. Porque na verdade ela esteve sempre comigo, ao meu lado, desde o momento em que nasci até ao instante em que irei partir. Não é por acaso que dizem que tenho coisas tuas... vives no meu coração e seremos sempre a pessoa uma da outra.