19 de junho de 2015

FAMÍLIA | As primas da cidade...

São duas irmãs, de idades aproximadas e mais novas do que eu. E era assim que as via: como as primas da cidade. Porque elas sim viviam numa cidade grande, onde havia muito para fazer durante as férias escolares. 
No Verão, era normal ir passar uns dias à casa delas e elas virem depois para a minha. Mas, as brincadeiras eram totalmente diferentes de um local para o outro. Lá, havia algo que nos deliciava: a piscina. E era aí que passávamos o dia quase completo. De manhã acordávamos já tarde e tomávamos um pequeno-almoço com horas de quase almoço e lá íamos nós, de bikini no corpo a correr para a água fresca da piscina. Um mergulho atrás de outro. Era um salto, era uma bomba, era uma corrida, era a brincadeira em que uma de nós era a nadadora-salvadora e tinha que salvar as outras (o pior era quando se afogavam as duas ). Éramos felizes ali, dentro de água, até que os nossos dedos ficassem todos enrugados e até que a mãe ou o pai diziam o famoso “por agora já chega!”. A custo lá saíamos da água e íamos secar o corpo, à espera que o tempo passasse para regressarmos.  
À tarde, na hora de maior calor, havia duas opções: ou íamos passear, ou brincávamos. As duas eram boas, mas no que toca às brincadeiras, admito que éramos muito originais. Ora nos virávamos para um karaoke e fazíamos uma chuva de estrelas, em que cada uma de nós tentava dar o melhor de si; ora brincávamos as mães e filhas; ou então, nos dias de maior cansaço, deixavamo-nos ficar em frente à televisão a ver o que por lá passava. Tudo isso, a queimar o tempo para mais uma rodada de piscina que, normalmente, era ao fim do dia. Vestíamos o bikini mais uma vez e lá íamos nós. Mais um mergulho, mais um salvamento, mais uma bomba, mais um salto… até que a água começava a arrefecer e chegava a hora de tomar um banho bem quente para terminar aquele dia. Por fim, ainda tínhamos tempo à noite de nos acharmos fotógrafas e modelos para fazermos sessões fotográficas ao lado da piscina, está claro! E que belas fotografias nós tirávamos  No dia seguinte, tudo se repetia e estar ali com elas era, sem dúvida, o melhor das minhas férias de Verão! 
Depois, passado uns dias, era a vez de elas virem até minha casa. Aí, não havia a piscina, mas tínhamos o rio ou o jardim que era muito maior e nos convidava a brincar nele. Por cá, as brincadeiras eram diferentes… num dia tirávamos o vestido da minha comunhão e brincávamos aos casamentos, com direito a penteados e maquilhagem. No outro, já brincávamos às mães e filhas ou então colocávamos em marcha uma brincadeira inventada por nós que era baseada na série do momento e da qual éramos as três fãs: os Morangos com Açúcar. Basicamente, tínhamos a nossa escola de dança, em que éramos professoras e dávamos as aulas a alunos imaginários, mas onde tudo aquilo era muito a sério, visto até termos fichas de inscrição para a escola! Quando brincávamos, dávamos um toque de realismo à brincadeira e isso era especial. No fundo, éramos felizes! Éramos tão felizes, todas juntas, a brincar! 
O tempo passou, nós crescemos e a toda esta relação mudou. Tenho pena que isso tenha acontecido, mas admito que também foi por erros da minha parte no passado. Agora, depois de já termos passado uns dias juntas, acredito que talvez possamos recuperar o tempo perdido e provavelmente é desta viagem que iremos fazer em conjunto que precisamos. Afinal, desta vez, vão as três primas à cidade, mas a uma cidade ainda maior!